Quando o Poder não Ouve

07/10/2009 at 18:14

Entradas_tapumeNa vila de Entradas, ao princípio do jardim da avenida, muitos homens costumam juntar-se na entretenga de uma cartada. Seja à bisca ou noutra modalidade, as cartas saem do leque, seguro na mão e sempre resguardado dos olhares dos parceiros.

Em tempos, com o fito de dar guarida aos homens sem pressa, foi ali construída uma casinha que num recanto entre bancos,  cumpre bem a sua função de apoio.

Mas, melhor seria, se quem a concebeu no papel, no lugar de uma das duas aberturas, tivesse rascunhado uma parede, uma vidraça ou uma janela, por mor do vento que por ali encana.

Quem fica na setia, sujeita-se aos constipados e por isso, todos clamam pela parede que falta.

Mas, o Poder não ouve, ou não se importa com coisas pequenas e por isso, os utentes do espaço, com o que tinham à mão, tentaram minorar a corrente de ar.

Deslocaram uma mesa com os bancos agarrados e com ela improvisaram um tapume, um remedeio para uma solução tão simples.

Entry filed under: Lista de Apoio. Tags: .

Em Consciência e Por Dever Cívico Não Tem Sentido


Calendário

Outubro 2009
M T W T F S S
« Set   Nov »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Most Recent Posts


%d bloggers like this: