Archive for Julho, 2009

Um Abraço Por Castro

“Campo Branco”

A claridade da planície brilha,campobranco12

Amarelo-torrado e azul-claro,

Arco-íris pintado em tom tão raro,

De quem será esta paisagem filha?


Ao longe a estrada alonga-se e perfilha

Aquela linha recta que eu comparo

Aos alicerces em que o sonho amparo

Imaginando a vida numa ilha.


campobranco11

Será tudo o que vejo uma ilusão?

Será a solidão assim tão bela?

Será o sofrimento um paraíso?


O Alentejo mudo é uma oração,

Ao céu aberto é como uma janela

Que espelha o Além sucinto e conciso!...

Lisboa, 1 de Março de 2009

Com agrado e emoção de poeta feliz.

Mando-lhe outro soneto sobre a nossa Castro Amada!

Desejo que a sua candidatura tenha a força do sangue quando entra pela artéria aorta…

Um Abraço Por Castro

Paulo Guerra

Paulo Duarte de Castro

campobranco13

Anúncios

31/07/2009 at 00:07

Declarar o cante como património nosso

feira_castro11

A quase totalidade dos concelhos do Baixo Alentejo, com a excepção de dois ou três onde se inclui o de Castro, bem como um grande número de outros concelhos, já classificaram o Cante Alentejano como seu património imaterial.

Considerando, que a Moda, representa para esta vasta região a expressão vocal e etno-musical mais autentica das suas gentes, onde, de uma forma organizada e devidamente estruturada em grupos, largas centenas de homens e mulheres confluem para emprestar o seu contributo artístico e dar o seu ânimo cultural a bem de um fortalecimento identitário, o Poder Local, não pode cingir o seu papel a mero dador de subsídios.

feira_castro13Por isso, tal como já o fizeram imensos outros Municípios, vamos tomar a iniciativa de levar à Assembleia Municipal, para aprovação, uma proposta de declaração do cante como património imaterial do nosso concelho.

Subsequentemente, trataremos os Grupos Corais como parceiros culturais privilegiados, concedendo-lhes o necessário apoio logístico e material, para que bem desempenhem a sua função de guardiães vivos desse mesmo património.

feira_castro12Com vista a dinamizar esta tradição vocal, para além do seu ensino nas escolas do ensino básico, vamos constituir uma Comissão Local de Acompanhamento do Cante, formada por representantes de todos os nossos Grupos Corais, representantes do Município, Representantes da MODA- Associação do Cante Alentejano e por individualidades locais ligadas ao nosso cantar.

29/07/2009 at 00:04

Um sítio “Por Castro”

Para além do blog e do Hi5, a nossa candidatura “Por Castro” inaugura hoje o sítio na internet.

É mais um espaço onde nos divulgamos a nossa actividade. Conheça-o aqui.

site_porcastro

27/07/2009 at 16:07

Ninho de empresas

ninho_empresas

Quando a economia vive tempos de grande arrefecimento ao nível global e de particular constrangimento a nível nacional, impõe-se a adopção, por parte do Município, de medidas que visem provocar algum alento e o possível incentivo para quem aqui já investiu ou pretende fazê-lo.

Para além de um relacionamento de proximidade e de cumplicidade no desenvolvimento local com os nossos comerciantes, agricultores e industriais, urge promover acções que no concreto, possam apoiar os actuais e potenciais empreendedores.

ninho_empresas2Nesse sentido, pretendemos fomentar a criação de novas empresas, proporcionando-lhes condições técnicas e logísticas para incrementarem a materialização de iniciativas que muitas vezes, não vêem a luz do dia por dificuldades no arranque inicial, designadamente, na obtenção e suporte de um espaço para a sua instalação.

O Ninho de Empresas que vamos criar, é uma estrutura composta por alguns pequenos escritórios destinados a alojar por um período limitado de tempo, determinado em regulamento próprio, pessoas colectivas e singulares, que tenham uma ideia de negócio.

Preferencialmente, serão beneficiários do Ninho de Empresas, os projectos mais exequíveis e com viabilidade económica, com relevância económico-social e que potenciem a criação de emprego qualificado.

27/07/2009 at 00:01

Parque infantil de Castro

parque4Não sabemos se outras empresas já o tinham feito antes ou o fizeram posteriormente, mas, no ano de 2003, a empresa Biodesign , executou um projecto, por encomenda do Executivo Camarário, para o Parque Comunitário de Castro Verde.

Tal projecto contemplava, segundo julgamos saber, a requalificação do Parque Infantil.

parque3

Acontece porém, que, pelo menos desde então, de ano para ano, tem-se feito constar do Plano e respectivo Orçamento, a realização de tal obra, sem que sequer uma palha tenha sido mexida, naquele local que logo após o 25 de Abril passou a existir como equipamento colectivo, fruto do esforçado empenho da população.

parque1

E assim, por falta de lhe serem destinadas verbas, por falta de interesse ou por mero deixa andar, temos, desde há anos, o parque para as crianças, as sombras para todos e um espaço para actividades desportivas e outras, votado ao abandono, fechado a cadeado, mesmo no coração da vila.

Promete-se agora, certamente, que uma estrutura nova ali vai nascer, mas…

parque2

Há demasiados anos que toda uma população está privada de frequentar e fruir aquele espaço.

Ao invés do abandono total, poder-se-ia ter desactivado somente a valência de parque infantil, enquanto a obra nova encomendada não surgia.

Fazia-se a manutenção do local e continuava-se a tratar do jardim, onde dezenas de árvores e demais plantas morrem agora ressequidas.

Tinham-se mantido as portas abertas, tinha-se acautelado o estado do “ringue”, podia ter havido vida, prazer e desporto, onde há muito, jaz um passado fechado a cadeado.

23/07/2009 at 00:01

Entradas merece!

entradas

Entradas.

Noite quase de Santiago. Uma sala atenta, participante, interessada em delinear caminhos que retomem praticas de gestão cuidada, agora lembradas e caminhos de futuro a apontar para o desenvolvimento.

Terceira Idade, abordada como um tempo do viver não estanque, mas como uma continuidade, de um existir com qualidade. Vida que se deseja activa, mesmo depois de ser sénior.

Debate EntradasTrabalho com objectivos, sequência de acções baseadas em projectos com sequência que envolvam a comunidade e nasçam de parcerias estabelecidas com os protagonistas que localmente as possam dinamizar.

Debate Entradas 1

Olhar para o concelho como um todo. Valorizar igualmente as pessoas proporcionando-lhes as mesmas oportunidades, independentemente do espaço do nosso território onde habitam.

Sentir que as propostas das Associações não são desejos seus, mas objectivos nossos.

Debate Entradas 2

E para os jovens, guardamos o melhor do nosso empenho. Não cedendo ao facilitismo do acessório, vamos enfrentar com eles e por eles as dificuldades de tornar possível a sua vida aqui.

As escolas vão ser o coração do nosso dinamismo, o terreno onde vamos semear a esperança do possível. Ensinar porque tudo se aprende.

Cativar, ganhar a juventude para a preparação do amanhã, já deles não nosso.

Um amanhã, sem poluição consentida nas linhas de água. A mesma água que inunda agora as casas por falta de controlo nas margens, sempre que do céu cai mais generosa.

Uma freguesia toda ela, inteirinha, classificada como zona de especial protecção ambiental. Donde vamos tirar proveitos turísticos, minorando também os constrangimentos carregados pelos homens que fazem a terra produtiva.

Pouco antes de Santiago, a conversa foi noite dentro, trilhando caminhos de vida activa, porque Entradas, merece.

22/07/2009 at 15:35

A nossa Biblioteca

biblioteca2“ Uma função importante da biblioteca pública é servir de núcleo ao progresso cultural e artístico da comunidade e dar forma e apoio à sua identidade cultural. Pode consegui-lo trabalhando em colaboração com as organizações locais e regionais adequadas, proporcionando um espaço para actividades culturais, organizando programas culturais e velando para que os interesses culturais se encontrem representados nos seus fundos.”

( Manifesto da IFLA/UNESCO sobre bibliotecas publicas,1994)

biblioteca

Temos a consciência de que as bibliotecas dos nossos dias têm de ser bibliotecas vivas, um ponto de encontro para se aceder livremente à informação, à cultura e ao conhecimento.

Por isso, a Biblioteca Municipal Manuel da Fonseca, vai merecer da nossa parte todo o empenho e cuidado.

Vamos procurar debelar as maiores fragilidades de que o edifício estruturalmente padece, melhorando o seu aspecto e aumentando o conforto para os seus utilizadores. Com o respectivo Director e restantes colaboradores, iremos desenvolver um amplo programa de promoção e animação da leitura.

biblioteca3Vamos aumentar a oferta de materiais escritos e audiovisuais de interesse geral através de uma política de compras devidamente planificada.

Por outro lado, a Biblioteca passará a ter uma variada programação cultural de literatura, artes plásticas, cinema, teatro e música.

Para além de darmos prioridade absoluta ao Arquivo Histórico do concelho, vamos criar um Fundo Documental para guarda de escritos e fotografias de particulares, mas também para arquivo da muita documentação antiga contida no arquivo morto das nossas Associações, um Fundo de Poesia Popular e um Fundo sobre a Batalha de Ourique.

Por outro lado, temos de aprofundar a adaptação da Biblioteca aos novos tempos e à nova realidade social, fruto da mudança de suportes e meios tradicionais de transmissão do conhecimento. Para isso, vamos dar mais atenção ao Espaço Multimédia.

É nossa intenção persistir na correcta política de abertura de Pólos em todas as freguesias e daremos igual atenção à Biblioteca Itinerante.

Finalmente, é nosso propósito reconhecer à Biblioteca o importante papel de ser ela a levar a cabo todas publicações inéditas de interesse local ou a reedição de obras com importância para o concelho e que se encontram esgotadas.

21/07/2009 at 00:07

Artigos Mais Antigos


Calendário

Julho 2009
S T Q Q S S D
« Jun   Ago »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Posts by Month

Posts by Category