Archive for Maio, 2009

A Desertificação Humana

desertificacaoA desertificação ambiental é uma realidade que no nosso território urge contrariar, através de praticas de uso dos solos mais adequadas e de intervenções quotidianas que possam contribuir para uma maior estabilização do nosso ecossistema.
Por outro lado, temos de parar e reflectir no sentido de encontrarmos mecanismos de índole social e politica que estanquem a desertificação humana a que estamos sujeitos. desertificacaohumana1
Olhemos para estes números:

Na década de 40, tivemos no nosso concelho 3070 nascimentos.
Na década de 90, tivemos no nosso concelho 588 nascimentos.

Só no ano de 1940, contabilizaram-se 349 partos, enquanto a média, dos anos de 2001 a 2006, foi de 57 partos anuais, tendo no ano de 2006 havido somente 38.

Daqui deriva, inevitavelmente, uma diminuição crescente da nossa população, apesar de actualmente ainda sustida pelo incremento da empregabilidade introduzido pelo projecto mineiro da Somincor, revelando, mesmo assim, um decréscimo de 9004 habitantes em 1970 para os 7603 habitantes registados no censo de 2001.

desertificacaohumana2Mas esta sangria humana, tem ainda outra vertente perversa de que urge cuidar e que consiste no acentuar do desequilíbrio demográfico dentro do próprio concelho. Na verdade, apesar de sermos cada vez menos no concelho, somos cada vez mais na vila sede.

Entre 1991 e 2001, a população residente na vila de Castro Verde teve um aumento de 3,7%, enquanto as aldeias e os montes se foram despovoando, atingindo valores alarmantes, como na freguesia de São Marcos da Ataboeira que perdeu 31,6 % da sua população.

Os números e a realidade impõem medidas estruturais que sustenham o êxodo, tais como a facilitação local de meios para a cativação de iniciativas empresariais que promovam uma diversificação na oferta de trabalho.

Por outro lado, defendemos uma política de discriminação positiva, que apoie e incentive a fixação das gentes nas nossas freguesias, através da concessão de terrenos para construção a preço de custo e da atribuição de outros benefícios compensadores.

Anúncios

29/05/2009 at 17:45

Turismo, comércio e voluntariado – acolher com um sorriso.

feiraislamica2Do Festival Islâmico de Mértola, são comummente referidos diversos aspectos e é sempre reconhecida a sua importância turística. De facto, tornou-se um bom pretexto para o encontro e para a festa.

Desta feita, uma pequena loja atraiu-nos pela sua decoração com artigos da nossa região, bens que há décadas eram utensílios e objectos que foram usuais nas nossas casas. Com um sorriso, fomos lá recebidos e ficámos a conhecer a vasta oferta de chá e bolos disponíveis. Contudo, não se tratava de uma casa comercial comum, tínhamos entrado de dentro uma “loja” do núcleo de voluntariado de Mértola , ali montada com vista à angariação de fundos.

feiraislamica1Mais tarde, a inoportuna chuva de trovoada, leva-nos a voltar à mesma loja para abrigo. Um chá e uma conversa mais prolongada, permitiu-nos ficar a conhecer um pouco do trabalho de trinta e seis pessoas implicadas numa dinâmica organizada e sistematizada de voluntariado, que diariamente, desenvolvem acções junto de sectores da população mais carentes de atenções e cuidados – idosos, crianças e doentes.

Três homens e trinta e três mulheres, constituíram, assim, um grupo de voluntariado que todos os dias se disponibiliza para a acção solidária.

A persistência da chuva permitiu-nos uma conversa mais demorada.

feiraislamica3O sorriso franco de acolhimento, fez nascer a confiança e da autenticidade da recepção, cresceu a vontade de virmos contar aquele exemplo e o desejo de lá voltar, em breve.

A nossa conclusão: Bem-estar e actividade económica, autenticidade e património, solidariedade e acolhimento, turismo e cultura, devem ser cuidadosamente articulados, mas sempre com um sorriso,  para que o  vector humano sobressaia.

26/05/2009 at 13:30

“PORCASTRO” com a Fundação Joaquim António Franco e Seus Pais

Fundação Franco 1Constituída no ano de 1961, em cumprimento de disposição testamentária do empresário agrícola Joaquim António Franco, a Fundação Franco, tal como hoje é mais conhecida, detém um vasto património rústico com, aproximadamente, quatro mil hectares e ainda muitos prédios urbanos, mas cujo rendimento é insuficiente para fazer face ao amplo trabalho de índole social que desenvolve.

A vontade do testador definiu como missão desta Instituição, a assistência, em particular aos pobres da freguesia de Casével, preferindo todos aqueles que tivessem trabalhado na sua casa agrícola.

Fundação FrancoPor outro lado, determinou também que todo o património por si afecto à Fundação, deveria servir para apoiar e proteger os idosos residentes na freguesia de Casével.

O cumprimento desta ultima vontade de Joaquim António Franco é assegurado por um Conselho de Administração, do qual fazem parte, entre outros, o Presidente da Câmara Municipal de Castro Verde e o Presidente da Junta de Freguesia de Casével.

A Fundação, actualmente, é suporte de 27 postos de trabalho, tem 5 idosos em centro de dia e dá apoio domiciliário a mais 42.

Na reunião que a Administração da Fundação Joaquim António Franco acedeu em ter com a Lista “ Por Castro”, foi notório o seu grande empenho e determinação em levar por diante uma nova fase de expansão de actividade social, com a construção de novas infraestruturas, já em vias de arranque de obra.
Foi-nos, por outro lado, transmitido o desejo daquela Fundação criar o Museu da “ Casa Agrícola Franco” com o adequado aproveitamento de um vasto espólio ali existente.

24/05/2009 at 00:59

Comércio Local – Uma Preocupação Que Temos

lojas fechadas.jpgEnquanto o nosso comércio local passa por uma das suas piores fases de sempre, patenteada no encerramento crescente de espaços comerciais na nossa vila, sem que se tenha feito alguma coisa para lojas fechadas1.jpgcontrariar esta tendência, a ACDB – Associação Comercial de Beja abriu uma Delegação em Aljustrel e vai abrir uma outra em Almodôvar, em pareceria com as respectivas Câmaras.

lojas fechadas2.jpgAssim, passaram já a funcionar em Aljustrel, parte dos serviços técnicos e comerciais daquela Associação, foi criada a figura do “prospector comercial” e vai ser lá lançada uma campanha de dinamização do lojas fechadas3.jpgcomércio ao abrigo do MODCOM, sistema de incentivos a que já havíamos feito referencia, neste mesmo blog em 6 de Fevereiro ultimo.

.

.

.

lojas fechadas4.jpg

lojas fechadas5.jpg

lojas fechadas6.jpg

20/05/2009 at 21:38

“Por Castro” propõe-se criar o Roteiro “ Da Tosquia às Mantas”

mantaA história do nosso concelho, está indissociavelmente ligada  à  antiga tradição agro pastoril da transumância que trazia anualmente para o nosso concelho, muitos milhares de cabeças de gado, vindos de todo o Reino e de Espanha.

Com  os gados vinham os pastores, portadores de culturas várias. No final da temporada, os gados  levavam mais carne e os maiorais deixavam usos e  costumes de regiões remotas que  numa permuta de saberes, fizeram da nossa identidade uma rica mescla cultural.

manta1

Com o passar dos séculos, findaram as condições politicas e económicas que sustentavam a vinda de tantos rebanhos, mas retivemos como nossas, as aprendizagens desses tempos.

Assim, tal como o fazem agora outros Povos, importa enaltecer , dar visibilidade  e aproveitar turisticamente esse capítulo da nossa história económica e cultural, desde logo, estudando em profundidade a dimensão da transumância no nosso concelho e o impacto que a mesma teve no nosso ser de hoje.

manta2

Desses tempos ficou-nos, entre outras coisas, a arte da tecelagem, circunscrita e  com particular incidência na nossa freguesia de Santa Bárbara, onde se produziam a quase totalidade das mantas de lã por cá usadas como fato nas camas e como agasalho nos campos.

Ora, essa velha arte da tecelagem que foi talvez a única referencia e marca de produção artesanal no nosso concelho, apagou-se.

Desarmaram-se os teares, queimaram-se os pentes, perdeu-se uma gestualidade.

Mas o saber ainda existe e urge fazer renascê-lo na dinâmica de um projecto museológico.

Assim, a Lista “Por Castro”, propõe-se desenvolver na Freguesia de Santa Bárbara um projecto abrangente que seja alavanca para a necessária dinamização turística do concelho. Paralelamente ao estudo e aproveitamento da transumância como fenómeno galvanizador de parcerias com outras regiões do país  e de Espanha, iremos criar o Roteiro turístico-cultural da “Tosquia às Mantas”, polarizado, que contempla as várias fases da manipulação da lã e culmina na criação do ”Museu das Mantas”.

Esta nossa proposta, assenta na consciência de que devemos ao nosso passado  e à rica tradição da tecelagem, uma resposta neste presente, adequada à sua preservação no futuro, já não como factor directo de produção, mas como repositório de uma memória colectiva.

Todavia, esta dinâmica a empreender, será também um contributo para a construção de um vasto “ Complexo de Oferta Turística ” no nosso concelho que  representa um novo olhar para os nossos recursos e vai ser ainda uma ajuda para  potenciar o nosso desejado Eco-Desenvolvimento.

18/05/2009 at 00:39

“ Por Castro” já tem Sede de Campanha

sede nova 2Em ambiente de muito entusiasmo e confiança e num espaço pequeno para tantas presenças, abriu-se a Sede  de Campanha da nossa Candidatura.

Falou-se de interesse na mudança, falou-se numa política  de maior proximidade, falou-se do presente e do passado, mas, essencialmente, acreditou-se num futuro de menor dependência de um único projecto económico, com maior dinâmica de investimento e mais bem estar social.

Traçaram-se também os rumos que hão-de conduzir a um Eco-Desenvolvimento abrangente, para todos os Castrenses, os que cá nasceram e agora vivem fora ou moram cá, mas também, para os muitos outros que não tendo nascido aqui, fizeram de Castro a sua Terra do coração.

17/05/2009 at 11:39

“PORCASTRO” abertura de sede de campanha, 6ª-feira, dia 15

sede s obras

De modo a poder congregar apoiantes e candidatos em espaço próprio, para aí poderem desenvolver o seu trabalho eleitoral, a Candidatura “Por Castro” vai fazer na próxima sexta feira, dia 15, pelas 19:30 horas, a abertura da sua sede de campanha, na Rua Nova da Feira, actual Rua Morais Sarmento.

Para o evento, em si modesto, mas pleno de significado em termos de afirmação da nossa candidatura, convidamos todos os visitantes deste blog.

13/05/2009 at 18:00

Artigos Mais Antigos


Calendário

Maio 2009
S T Q Q S S D
« Abr   Jun »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Posts by Month

Posts by Category